Tudo o que você precisa saber sobre: Redes WAN Definidas por Software

A virtualização se traduz em um ambiente computacional que apresenta diversos benefícios, tais como agilidade e otimização de recursos, além de ter revolucionado e viabilizado o processamento de aplicações em ambientes de nuvem.

Já a infraestrutura de uma rede de comunicação, onde encontramos um aparato estritamente associado a recursos físicos, como conversores, roteadores e switches, pode se beneficiar da virtualização através de soluções baseadas em Redes Definidas por Software (Software-Defined Network – SDN).

Trata-se de uma abordagem para redes de comunicação que permite aos gestores do ambiente de rede gerenciar serviços por meio da abstração de funcionalidades de nível inferior.

A SDN tem como objetivo abordar o aspecto de que a arquitetura estática das redes tradicionais não suporta as necessidades de computação e armazenamento dinâmicas e escaláveis dos ambientes de computação mais modernos, como os ambientes de aplicações em Data Centers, por exemplo.

Essa tecnologia se aplica a todos os serviços de rede, seja para o encaminhamento das mensagens ou para serviços adicionais como segurança e acesso remoto. Isso é feito desacoplando (ou desassociando) o sistema que toma as decisões sobre onde o tráfego é enviado (o plano de controle), dos sistemas subjacentes que encaminham o tráfego para o destino selecionado (o plano de dados).

Uma Rede WAN Definida por Software (Software-Defined Wide Area Network – SD-WAN) é uma abordagem que visa simplificar as redes corporativas e garantir o desempenho das aplicações. Sua definição mais simples é a WAN que utiliza software e tecnologias de virtualização, em vez do hardware tradicional, para conectar pontos remotos de rede.

 

VEJA TAMBÉM

+ Aplicação das Fibras Ópticas em LAN
+ Redes POL e GPON – Simples e confiável, o futuro é assim!

+ Redes Totalmente Ópticas
+ Wifi 6 chegou pra valer. Que inovações ele traz?

 

A SD-WAN utiliza software e tecnologias de virtualização para criar uma WAN e inclui três elementos: separa o plano de dados da rede do plano de controle, fornece um controle centralizado e facilidade de programação. Diferente das WAN’s tradicionais, oferece maior agilidade na operação da rede e significativa redução de custos de operação e manutenção.

A SD-WAN tem suas raízes na rede definida por software (Software-Defined Network – SDN), cujo princípio básico é abstrair o hardware de rede e as características de transporte dos aplicativos que usam a rede e se colocar como uma alternativa para organizações que precisam de conectividade WAN de alto desempenho, bem como serviços de segurança de dados.

Trata-se de uma arquitetura em nuvem que separa os planos de dados e de controle gerenciados e que permite conectar uma estrutura envolvendo Data Centers, Matriz, Filiais e instalações compartilhadas de empresas visando melhorar a velocidade, a segurança e a eficiência no uso da rede.

SD-WAN

Na SD-WAN, a priorização de tráfego de Qualidade de Serviço (Quality of Service – QoS), com correção antecipada de erros inclui a categorização de aplicativos com gerenciamento de tráfego para fornecer garantias de largura de banda para diferentes classes de serviço e permite melhorar o desempenho de aplicativos sensíveis a latência e a perda de pacotes.

Esses aplicativos incluem comunicação em tempo real, como Voz Sobre IP (Voice Over Internet Protocol – VoIP), videoconferência e compartilhamento de telas, entre outros. Algumas soluções usam técnicas de redundância de caminho e correção de erros, que incluem dados redundantes aos pacotes originais para ajudar a detectar e corrigir erros, a fim de evitar retransmissões de dados sem desempenho.

Atualmente existe uma tendência de que cada vez mais as infraestruturas de rede sejam totalmente definidas por software e a SDN aplicável a qualquer porção ou tipo de rede de comunicação, sejam ambientes de Data Center,

Redes Locais de Computadores (LAN), redes remotas, de acesso, sem fio etc., e se baseia na separação do plano de controle (overlay), parte inteligente e onerosa dos equipamentos de rede, do plano de dados (underlay), o aparato de hardware e microcódigos que realiza o direcionamento ou bloqueio dos fluxos de dados pelos equipamentos.

 

PUBLICIDADE

Conheça RATIO Consultoria e Treinamento

A RATIO Consultoria e Treinamento oferece serviços de consultoria e treinamento em redes de comunicação e Sistemas de informática. Criada em 2016, a RATIO Consultoria e Treinamento é uma empresa sediada em Volta Redonda (RJ), com foco em atendimento de demandas de Infraestrutura de Redes e Sistemas ERP (SAP).

 

Serviços Oferecidos:

Projetos de Infraestrutura de Redes:

* Treinamentos Técnicos em Redes de Telecomunicações

* Workshops e Minicursos

Consultoria ERP (SAP):

* Mapeamento de processos e levantamento de requisitos;

* Liderança de Projetos de TI;

* Configuração e especificação de demandas SAP;

* Gestão de Mudanças, implantação e consolidação de projetos;

* Treinamento de Usuários no Sistema SAP

Perícia Judicial em Tecnologia da Informação e Redes:

Assistência Técnica Judicial em Tecnologia da Informação e Redes

 

>>> CLIQUE AQUI e saiba mais sobre a RATIO Consultoria e Treinamento <<<

Gostou do conteúdo? Compartilhe.

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on telegram
Share on email

Deixe seu comentário.

Assine nossa newsletter e receba nossos conteúdos diretamente no seu e-mail

Assinando nossa Newsletter você autoriza que a QUICK lhe envie conteúdo informativo e publicitário, nos termos de nosso Aviso de Privacidade.

Av. Alm. Adalberto de Barros Nunes, 926 – Vila Mury, Volta Redonda – RJ

Siga nossas Redes

Baixe Nosso App

(i) velocidade máxima, tanto de download quanto de upload, disponível no endereço contratado, para os fluxos de comunicação originado e terminado no terminal do CLIENTE, respeitados os critérios estabelecidos em regulamentação específica; (ii) valor da mensalidade de cada serviço; (iii) critérios de cobrança;

O PLANO DE SERVIÇO também disporá sobre: (i) a disponibilização de endereço IP (Internet Protocol) fixo ou variável; (ii) a contratação conjunta ou não de outros serviços de telecomunicações; (iii) valor do consumo excedente, em caso de contratação sob franquia de consumo; (iv) limites e garantia de banda;